• Ka Lisbôa

Propósito por trás da Ka.EUniverso

Atualizado: 26 de Ago de 2020

Em uma hora inesperada me vem esse insight:


Meu objetivo não é [ainda] formar cristaloterapeutas, é inspirar à intuição. Os cristais são um convite e tanto para ouvir o coração, a intuição. Do que adianta você saber pra que servem 500 cristais se você não sabe ouvir a sua intuição? Se você tá engessado no que alguém te falou? O foco aqui é te trazer o conhecimento e te inspirar a ouvir a sua intuição para abrir espaço para as surpresas trazidas pelo seu coração te dando autoconfiança, liberdade e trabalhando a autorresponsabilidade.


Isso aqui veio DO NADA, rs.. Tá, eu sei que não veio do nada mas sabe aquela ida básica a um ponto da casa, pensando na resposta de um comentário que eu tinha acabado de fazer para uma amiga no Instagram e pá, vem isso, do nada!


Isso tem demais a ver com o que eu ando falando e buscando ultimamente:

Qual o objetivo da minha fala?

Quem eu quero atingir?

Por que esse público?

Qual a motivação da minha fala?

O que faz meu coração vibrar?

Como eu quero falar?

Qual a minha forma de me comunicar?

Como eu quero escrever?

Quem sou eu no meio desse rolê todo?

O que me diferencia de todas as pessoas que falam do mesmo assunto?


Isso é marketing mas também é autoconhecimento, puro autoconhecimento e me deu um ahhhhh... quando o Tetris se encaixou. Eu tenho várias formações, em diversas áreas e horror ao "tem que", hoje mais ainda, é como se o "tem que" tirasse a minha liberdade. Um exemplo: eu gosto de escrever como eu falo. Tá certo? Têm pessoas que dizem que não, mas é a minha forma de me comunicar. A forma como o Emicida escreve tá certa? Tem quem diga que não, mas é a forma que ele gosta de se comunicar, forma como ele se sente mais perto do público dele (eu imagino). A loja FARM não usa letra maiúscula em seus textos, já percebeu? Tá errado? Ao meu ver não, ela achou uma forma só dela de se comunicar. E por que que tem que ser tudo da mesma forma?


Para mim hoje não faz sentido falar de mil cristais e não te inspirar a se autoconhecer, a ouvir sua guiança interna, sua intuição, seu coração. Não faz sentido só o conhecimento teórico, como não faz sentido só a intuição ao meu ver. Hoje tem sido cada vez mais evidente a união dos dois. A autoconfiança quando você olha pra uma estante de cristais sentindo algum desconforto, lembra que aprendeu que aquele cristal serve para aquela situação mas se abre para o que te chama mais atenção, traz esse cristal junto, além daquele que você aprendeu, abre espaço pro seu coração, para quem sabe cuidar da causa, porque nem sempre o nosso mental sabe de tudo (muitas vezes não sabe de nada - ele mente) e o coração sabe de muita coisa. Isso traz autoconfiança. Isso traz liberdade e com isso autorresponsabilidade. Ter liberdade te faz ser responsável e sim, isso não é tão agradável de início, porque se der ruim, com quem você vai reclamar? Isso é um convite a sentir o seu coração, a confiar em você e na guiança interna.


Hoje o meu trabalho é pautado nisso, na intuição associado ao conhecimento, atenção, vou repetir: na intuição associado ao conhecimento, um não invalida o outro, a busca visa essa união perfeita de saber a teoria e abrir mão dela sempre que sentir que deve.


Palavras chave: conhecimento, intuição, liberdade, autoconhecimento, autoconfiança, autorresponsabilidade, coração.


Recebo aqui pessoas que querem se abrir para a intuição a partir dos cristais e não só eles, a partir da meditação, das plantas, ervas, cores....


Seja bem vindo!

0 comentário